Skip to content

das palavras ao vento #5: das re-edições

30/09/2012

O grande amor nem sempre é o príncipe encantado…

Foi naquela noite de lua cheia, debaixo de um céu estrelado e quente de Agosto que ela percebeu que a sua vida nunca mais ia ser como a conhecia até então.
A noite corria lenta… as pessoas arrastavam os pés pesado dos lautos jantares que as férias proporcionam… as ondas morriam lá longe na areia que um dia conheceria seu amor… e a lua, a mesma lua de sempre, presenciava a exultação dos dois corações.
O olhar parou extasiado ao descobrir, por entre a multidão, aquele vulto. O coração disparou e as pernas tremeram. Encontrava por fim o príncipe encantado? Era impossível naquele instante saber isso. Só mais tarde percebeu que aquela noite mudaria para sempre a sua percepção do mundo.

O tempo correu e reencontro deu-se. Como foram dias felizes os primeiros daquele Maio solarengo!! Com que alegria ela saltava da cama todas as manhas rumo a um novo dia cheio de paixão e romance!! Esse verão foi uma enchente de novos sentimentos, de novas certezas, de novas promessas… promessas que nunca passaram das cartas amorosas trocadas às escondidas, dos olhares e das conversas mudas… Como foram duros os meses seguintes, quando percebeu que para ser a sua mulher tinha de mudar tanto, que para o ter por inteiro tinha que dar muito mais do que podia! Esperou que tudo mudasse, mas foi em vão… as cartas e mensagens mandadas sem resposta, os telefonemas nunca atendidos (“ai filha ele agora não pode!! Liga mais tarde!!), os amigos que evitavam falar sobre o assunto porque sabiam muito mais…

Um dia, atirou tudo para trás e decidiu seguir em frente! A vida que tanto lhe tinha tirado dava agora um ar de sua graça e tentava compensá-la. Como dizia a música que não parava de tocar no compact-disc, comprado com os trocos amealhados durante anos: “e você chegou assim devagarinho/ entrou em minha vida sem pedir…”. Ela parecia sorrir de novo!! E durante meses esqueceu tudo… até aquele dia… aquela conversa trouxe a verdade verdadeira à tona e apesar, das confusões esclarecidas, dos pedidos de desculpa, ela percebeu que nunca mais ia amar assim… A lua cheia daquela noite de verão, tinha selado o seu coração, porque ela tinha encontrado o seu príncipe encantado… mas a dura realidade mostrou-se mais cruel e brutal, nessa noite de Novembro quando percebeu que o seu conto de fadas, jamais teria um final feliz…

Anúncios
4 comentários leave one →
  1. franksy permalink
    03/10/2012 04:45

  2. 03/10/2012 10:59

    ❤ ❤

    [faz-te lembrar alguma coisa?…]

  3. franksy permalink
    03/10/2012 18:17

    não… apenas que gosto de ti e te quero o melhor do mundo!

  4. 03/10/2012 18:40

    swettie 😉

    [de certa forma estás lá… ;)]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: